Sessão Solene 50º aniversário

Discurso do Presidente

Saudação à mesa

  • Pe. Francisco Costa – Pároco de Leça da Palmeira

 

  • Pe. Luís Mateus – responsável pela Liturgia da Vigararia de Matosinhos

 

  • Exmª. Sra. Dra. Lurdes Queirós – Representante Câmara Municipal de Matosinhos

 

  • Exmº. Sr. Dr. Pedro Sousa – Presidente da Junta de Matosinhos e Leça da Palmeira

 

  • Sr. Luís Barra – Fundador da Associação de Acólitos

 

  • Exmº. Sr. Joaquim Oliveira e Silva – Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Matosinhos – Leça

 

  • Caros Acólitos e antigos Acólitos;

 

  • Demais convidados….

 

50 Anos a servir o Altar retrata, e bem, o nosso humilde percurso.

Foi em 1965, sob a égide do Rev. Pe. Alcino Santos e do Sr. Luís que foi fundada a Associação de Acólitos, e que faz dela uma das mais antigas da nossa Diocese e do nosso país.

Por aqui passaram centenas de adolescentes e jovens que fizeram a sua caminhada na vida cristã e que cresceram connosco na fé.

Tivemos jovens acólitos nos seminários e a felicidade de um deles, há muitos anos atrás, ser ordenado sacerdote: o Pe. Fabião, com um forte apoio do Sr. Luís Barra, nosso fundador.

Mais recentemente, e após quase quarenta anos de acólito não instituído, o Manuel Rodrigues deu-nos a alegria de se doar a um novo serviço da Igreja: o Diaconado Permanente.

E aqui reside um fator importante da essência do nosso grupo: para além de servir também nos dedicamos a formar. Formar homens para a vida, para a sociedade e que estejam disponíveis para ajudar com caridade e fraternidade; algo que não se faz sem um elemento essencial: o amor!

Temos muitos exemplos de pessoas que por aqui passaram e que assumiram cargos importantes e influentes na nossa sociedade civil. E para isso contribuíram algumas pessoas que passo a enumerar: para além dos fundadores, que nos marcaram profundamente, como é natural, devemos recordar a menina Arminda, o Rev. Pe. Elísio Santos, o Sr. Filipe Pacheco, o Rev. Pe. Fernando Cardoso de Lemos, os Padres Franciscanos, o Rev. Pe. João Santos, o Rev. Pe. Fabião, a menina Milão, a Dona Judite, e demais catequistas, e mais recentemente, O Rev. Pe. Francisco Costa.

Para além da formação religiosa e humana, também a parte litúrgica esteve sempre presente nos nossos desígnios de missão.

Ser acólito é estar ao serviço: ao serviço do altar e do próximo. Servir o altar não é apenas ajudar o presidente da celebração, transportar os objetos litúrgicos ou executar outras funções que lhe sejam próprias. Servir o altar é muito mais: é participar no Mistério Pascal de Cristo, ou seja, da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Servir o altar é estar aos pés da cruz, é contemplar o Cristo Ressuscitado com os olhos da Fé e viver alegremente o Evangelho.

Estar ao serviço do próximo é estar pronto para a doação e a entrega, é ser amparo e consolo para os que necessitam, é saber amar e viver a caridade. A vida de Cristo foi dedicada a servir o próximo. Da mesma forma, o acólito é chamado a servir como Cristo.

No seu serviço, o acólito, deve buscar sempre a alegria e a disposição, o contacto fraterno e amigo, o respeito e a dedicação às coisas sagradas.

Nos anos mais recentes, a Vigararia de Matosinhos tem apostado muito na formação de acólitos e no engrandecimento do papel do acólito nas comunidades paroquiais.

Como devem entender, também temos de ter capacidade para cativar os jovens e aí entra, inevitavelmente, momentos mais lúdicos: passeios, convívios, acampamentos, espetáculos e peças de teatro que enchiam o nosso Salão Paroquial, torneios de futebol de salão, participações nas Jornadas Mundiais da Juventude com o Papa, encontros vicariais de acólitos e peregrinações nacionais de acólitos em Fátima, etc….

Deixem-me ser um pouco saudosista e relembrar algumas dessas atividades que ainda hoje são faladas:

  • No teatro:

“Mataram um ator”;

“O macaco a fazer contas”;

“A aula dos burros”;

Tudo com encenação do Sr. Luís Barra.

  • Nos passeios:

Visita às Caves Raposeira;

Passeios à Régua, Curia, Gerês, Norte de Espanha, Guimarães, Sra. da Penha, Bom Jesus de Braga, etc.

  • Nos desportos:

Torneios de futebol;

Torneio de Damas;

Peddy papper:

Rally papper;

etc.…

  • Espetáculos:

A favor do Leça Futebol Clube;

Nas festas da catequese;

Em conjunto com as pajens do Santíssimo Sacramento.

As reuniões na sacristia……e muito mais havia para recordar.

Atualmente a nossa Associação conta com cerca de 60 acólitos. Estamos numa fase próspera e de grande esperança em relação ao futuro do grupo.

Em jeito de conclusão quero recordar as palavras do Papa Francisco pela 11º Peregrinação Internacional dos Acólitos, em Roma, no passado mês de Agosto – passo a citar:

 

“Servir o Altar é um treino para a fé e a caridade, pois devemos partilhar a alegria com os outros”. Papa Francisco

 

Que esta alegria permaneça sempre nas nossas vidas e que a AALP seja mais uma nesta grandiosa e amorosa missão de serviço à Igreja!

 

Muito obrigado!

Um bem-haja a todos!

 

 

José Luís Ferreira Barra

Presidente da AALP

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *